"Tudo quanto tem fôlego adore a Deus."Sl 150.6                                     

.

Cliqu.

Carlinhos Felix e a sua trajetória musical

26 JAN 2017
26 de Janeiro de 2017
Carlinhos Felix completa 55 anos; relembre carreira

O cantor e compositor Carlinhos Felix completa, nesta quarta-feira (25/1), 55 anos de idade. Com quase 40 anos de trajetória musical iniciada em meados de 1979, Felix é um dos nomes de maior longevidade artística na história da música cristã contemporânea brasileira.
Suas primeiras atividades como músico profissional se deram ainda na banda Sinal Verde, fundada no final da década de 1970. Por ela, foi chamado para ser guitarrista e vocalista do Rebanhão, durante a formação do grupo. Logo no primeiro álbum, Mais Doce que o Mel (1981), Felix exerceu função importante como compositor e escreveu alguns dos maiores sucessos do grupo.
Com a saída do líder Janires ainda no ano de 1985, Carlinhos cresceu na banda e tomou, cada vez mais, a figura de frontman. Paralelamente a isso, passou a ser músico de sessão e técnico de estúdio para vários cantores evangélicos. Na época, Carlinhos gravou com Banda & Voz, Expresso Luz, Grupo Águas, entre vários outros grupos.

3 Adolescentes aprenderam a tocar teclado em apenas 30 dias

O voo solo se iniciou em 1991, depois de mais de dez anos tocando ao lado de Pedro Braconnot e Paulo Marotta. Coisas da Vida, lançado pela multinacional Continental, foi um disco popular para a carreira do cantor e acabou levando Carlinhos, logo no ano seguinte, a sair do Rebanhão e gravar outro disco pela BMG, hoje parte da Sony Music.
Em carreira solo, Carlinhos foi um dos cantores solo de maior sucesso da década de 1990. Colecionou sucessos como “Basta Querer”, gravou com músicos respeitados como Paulinho Guitarra e Zé Canuto, se apresentou em países estrangeiros, lançou sua própria distribuidora de discos e foi alvo de reportagens publicadas por jornais como o O Globo e Folha de S.Paulo.
No início da década de 2000, sua carreira caminhou a passos mais lentos assim que se mudou para o exterior. De volta para o Brasil, diminuiu o ritmo de lançamentos e passou a produzir um disco a cada quatro anos. Mais recentemente, retornou ao Rebanhão e concilia sua carreira solo com a trajetória da banda, que segue fazendo agenda em cidades do Brasil.

Fonte: GospelPrimer
Voltar